GOVERNANÇA ELETRÔNICA: UM ESTUDO IDENTIFICANDO OS PRINCIPAIS CONSTRUCTOS

Sergio Moacir Fabriz, Geysler Rogis Flor Bertolini, Gilmar Ribeiro de Mello

Resumo


Neste estudo buscou-se identificar os principais constructos desenvolvidos nas Teses e Dissertações dos Programas de Pós-Graduação Stricto Sensu, que envolvem o tema sobre a governança eletrônica no Brasil. Realizou-se uma pesquisa descritiva, do tipo revisão integrativa norteado pela pergunta: Quais os principais constructos desenvolvidos nos produtos dos mestrados e doutorados que compõem os estudos sobre governança eletrônica no Brasil?  O levantamento bibliográfico foi realizado na base de dados dos periódicos da CAPES e IBICT, por meio do termo governança eletrônica nas teses e dissertações publicados no período de 2000 até 2015. O estudo foi dividido em quatro etapas: seleção da pergunta norteadora para a elaboração da revisão integrativa; definição dos critérios de inclusão e exclusão nas bases bibliográficas; apresentação dos resultados: relacionar as publicações encontradas, definição das informações a serem extraídas das publicações encontradas; e conclusão. Constatou-se no estudo a publicação de 02 teses e 13 dissertações no período, com um aumento considerável a partir de 2010. A maioria dos estudos foram qualitativos com o emprego de entrevistas, porém, houve um número considerável de estudos com métodos mistos. Como resultados, emergiu diversos constructos que envolvem a governança eletrônica, destaque para a interação entre o governo e o cidadão, accountability, transparência, participação cidadã, democracia, mecanismos de serviços, tecnologias de informação, redução dos custos de transação, redução da assimetria informacional, mecanismos de serviços e informações com qualidade. Conclui-se que o tema foi pouco explorado no Brasil, com isso, há possibilidade ampliar as pesquisas em diversas áreas e segmentos conforme sugeres os estudos anteriores.


Texto completo:

PDF

Referências


AITA, B. H. A cadeia produtiva da indústria de semicondutores: um estudo exploratório. Porto Alegre, Brasil: Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2013.

ANTUNES, M. C. Maturidade do alinhamento estratégico entre o plano plurianual e os órgãos de controle: um estudo de caso no ministério público da união. Brasília, Brasil: Universidade de Brasília, 2011.

BACKUS, M.. E-governance in Developing Countries. IICD Research Brief, 1(3). 2001.

BRASIL. Lei complementar no 101. 04 de Maio de 2002. Estabelece normas de finanças públicas voltadas para a responsabilidade na gestão fiscal e dá outras providências.

______. Lei no 131. 27 de maio de 2009. Acrescenta dispositivos à Lei Complementar no 101, de 4 de maio de 2000, que estabelece normas de finanças públicas voltadas para a responsabilidade na gestão fiscal e dá outras providências, a fim de determinar a disponibilização, em tempo real, de informações pormenorizadas sobre a execução orçamentária e financeira da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios

______. Lei no 12.527. 18 de novembro de 2011. Regula o acesso a informações previsto no inciso XXXIII do art. 5o, no inciso II do § 3o do art. 37 e no § 2o do art. 216 da Constituição Federal; altera a Lei no 8.112, de 11 de dezembro de 1990; revoga a Lei no 11.111, de 5 de maio de 2005, e dispositivos da Lei no 8.159, de 8 de janeiro de 1991; e dá outras providências

CHAMA, D. C. O comitê gestor da internet no brasil: gestão, segurança e comunicação. Bauru, Brasil: Universidade Estadual Paulista “Julio de Mesquita Filho”, 2008.

CRESWELL, J. W. Projeto de pesquisa: métodos qualitativo, quantitativo e misto. 3. ed. Porto Alegre: Artmed, 2010.

GUIMARÃES, T. D. A.; MEDEIROS, P. H. R. A relação entre governo eletrônico e governança eletrônica no governo federal brasileiro. Cadernos ebape.br, dez. 2005. v. 3, n. 4, p. 01–18.

FARIAS, R. A. de. Contratações públicas no cenário de governança pela internet: o pregão eletrônico na UFPE. Recife, Brasil: Universidade de Pernanmbuco, 2010.

LAIA, M. M. Políticas de governo eletrônico em estados da federação brasileira: uma contribuição para a análise segundo a perspectiva neoinstitucional. Belo Horizonte: Universidade Federal de Minas Gerais, 2010.

MAGALHÃES, D. M. B. A aplicação das tecnologias da informação e da comunicação TICs, na gestão pública: um estudo sobre o governo eletrônico por meio dos sítios (websites) oficiais dos Estados do Brasil. Belo Horizonte, Brasil: Fundação João Pinheiro, 2008.

MATHEUS, R. Uso das tecnologias de informação e comunicação para a promoção da participação cidadã: estudo de caso da consulta pública online da lei das lan houses no legislativo. São Paulo, Brasil: Universidade de São Paulo, 2012.

MEDEIROS, P. H. R. Governo eletrônico no brasil: aspectos institucionais e reflexos na governança. Brasil: Universidade de Brasília, 2004.

MELLO, G. R. de. Estudo das práticas de governança eletrônica: instrumento de controladoria para a tomada de decisões na gestão dos estados brasileiros. São Paulo: Universidade de São Paulo, 2009.

MELLO, G.; SLOMSKI, V. Electronic governance index of brazilian states (2009): within the executive branch. Jistem journal of information systems and technology management, 30 ago. 2010. v. 7, n. 2, p. 375–408. Disponível em: .

MIRANDA, P. R. De M. Elementos habilitadores e inibidores da implementação de espaços virtuais de participação pelos governos. Porto Alegre, Brasil: Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2010.

OKOT-UMA, R. W. O., & LONDON, C. S.. Electronic governance: re-inventing good governance. London: Commonwealth Secretariat. 2000.

PEREIRA, B. V. Implementação de práticas de governaça eletrônica sob perspectiva institucional: uma análise da governança de ti em uma instituição pública. Porto Alegre, Brasil: Pontíficia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, 2012.

PESSI, P. E-op uma nova prática comunicativa do orçamento participativo de porto alegre. Brasil: Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2003.

SILVA, A. B. Multimídia e conectividade entre os conselnos de saúde: a plenária virtual permanente. Rio de Janeiro, Brasil: Escola Nacional de Saúde Pública Sérgio Arouca, 2005.

SANTOS, L. L. DOS. O processo de administração estratégica na superintendência de governança eletrônica na secretaria de estado de planejamento de minas gerais no projeto choque de gestão. Viçosa, Brasil: Universidade Federal de Viçosa, 2007.

SOUZA, J. V. DE. Práticas de governança eletrônica: um estudo nos portais dos municípios mais populosos do brasil. Natal, Brasil: Universidade Federal da Paraíba e da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, 2014.

ZAGO, C.; MELLO, G. R. Governança Corporativa Eletrônica e Desempenho Econômico e Financeiro das Empresas Listadas no Índice Bovespa. Revista Organizações em Contexto-online, 12(23), 419-453. 2016.




DOI: https://doi.org/10.7198/geintec.v7i4.1029

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

__________________________________

ISSN: 2237-0722

A REVISTA GEINTEC possui D.O.I e está cadastrada nos sistemas:

Os trabalhos da Revista GEINTEC - Gestão, Inovação e Tecnologias de www.revistageintec.net está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.

Licença Creative Commons

Associação Acadêmica de Propriedade Intelectual - Aracaju/SE. Universidade Federal de Sergipe. Cidade Universitária Prof. "José Aloísio de Campos" 

Av. Marechal Rondon, s/n Jardim Rosa Elze - Pólo de Pós-Graduação - Sala 8 - CEP 49100-000 - São Cristóvão/SE. revistageintec@gmail.com